Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaRicardo Nakata › Minha história

Ricardo Nakata

São Paulo / São Paulo - Brasil
40 anos, vendedor

Centenário da imigração japonesa okinawana na Argentina


Olá !
Gostaria de compartilhar uma informação sobre o centenário da imigração japonesa okinawana que aconteceu em agosto de 2008 na Argentina, segue abaixo o texto da matéria publicada no portal nirai-net.

Os okinawanos argentinos festejam 100 anos de História
Pablo Gavirati Miyashiro
De Buenos Aires (Argentina) para Nirai-net
site: http://www.nirainet.com.br

Em Buenos Aires aproximam-se os dias mais importantes do Centenário Okinawano na Argentina: sábado, dia 30, quando se realizará o desfile artístico e o fórum da Imigração, e domingo, dia 31, quando será realizada a cerimônia principal.

Para saber mais sobre os festejos, Nirai-net conversou com Seibun Komensu, presidente do Centro Okinawano na Argentina. Na entrevista, o dirigente que coordena os festejos menciona que os nikkeis da Argentina, Brasil, Peru e outros países devem se interconectar em uma rede para nos relacionarmos com Okinawa.

Nirai-net: O que será transmitido destes 100 anos de História na Argentina?
Seibun Komesu: A cerimônia principal tem como objetivo central, por um lado, fazer uma merecida homenagem aos imigrantes, os pioneiros, os sempai, e por outro lado, agradecer a sociedade argentina que nos recebeu muito bem. Além do mais, tratamos de resgatar o esforço que estamos fazendo neste momento para que continue esse impulso pra os próximos anos. O festejo em si é uma cerimônia, mas acredito que o mais importante será o depois.

Nirai-net: Está sendo desenvolvida uma forma de projetar estes festejos a todo o mundo?
Seibun Komesu: Sim, do ponto de vista internacional, como vivemos em um mundo globalizado, me parece que é importante trabalhar pela integração, tomando como base nossa origem comum como okinawanos. É certo dizer, que devemos buscar formas de contatos, como a iniciativa de um intercâmbio juvenil; o primeiro foi realizado no Peru, este ano na Argentina e o próximo poderia ser no Brasil. Também há projetos para organizar encontros entre os grupos de dança.

Nirai-net: Existe historicamente um vínculo: os dos primeiros okinawanos que chegaram à Argentina vieram do Brasil, por isso este ano festejamos dois centenários. Deveríamos recuperar esta tradição?
Seibun Komesu: Sim, creio que até agora as relações mais estabelecidas são as de Okinawa com paises além-mar (ex. Argentina e Okinawa ou Estados Unidos e Okinawa). Por isso, acredito que deveríamos buscar maneiras de interconectarmos de forma transversal com diferentes países, como entre Brasil e Argentina. A idéia do governo de Okinawa é de realmente fazer essa rede internacional, onde as comunidades não estejam conectadas somente com um ponto central, mas também entre todos os integrantes.

Nirai-net: Qual a mensagem para os visitantes de todo o mundo que virão aos festejos?
Seibun Komesu: Os okinawanos têm uma frase que é Ichariba Choude: “ao nos encontrarmos, somos todos irmãos”. E também chimigukuru, que significa o feeling ou a abertura muito especial que tem os okinawanos. Creio que o que nós sentimos em relação às pessoas que virão é precisamente isto. Tudo isso resume esse sentimento e não nos faltam palavras para transmitir o que cada um sente.

Para maiores informações sobre o Centenário, acesse:
www.okinawaimin.com.ar e www.okiren.org.ar

Tradução: Priscilla Orban
Revisão: Cristiane Morinaga


Enviada em: 05/09/2008 | Última modificação: 05/09/2008
 
« Centenário da Imigração Okinawa na Argentina

 

Comentários

  1. erika_montoro@hotmail.com @ 25 Out, 2007 : 13:27
    Olá,Ricardo! Também estou participando desta comunidade, e tive a oportunidade de ler o seu texto "Identidade Nikkei". Acabei me identificando muito com as suas colocações, principalmente quando vc fala em ser "brasileiro ou japonês", eu também sentia isso na minha adolescência...Casei-me com um mestiço de espanhol, índio, baiano (que é a descendência do meu marido)e também fui ser dekassegui, só então acabei entendendo, assim como vários outros parentes e amigos, que somos nikkeis brasileiros e que amamos a cultura de nossos ancentrais...

Comente



 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados