Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaCristina Sano › Minha história

Cristina Sano

São Paulo / SP - Brasil
55 anos, atriz

Lembranças da viagem de navio


Sou nissei, nascida em São Paulo, no bairro da Lapa em 1965. Minha mãe nasceu em Miyasaki, Japão, em 1929, filha de Tsuneharu Nishi e Sai Nishi. A família imigrou para o Brasil com os sete filhos e chegou ao Porto de Santos, depois de uma viagem sem fim, (como diz minha mãe), em 1937. A família do meu pai imigrou para o Brasil um pouco antes, em 1927.

Como a maioria dos imigrantes japoneses da época, eles vieram em busca de soluções financeiras, uma vez que as oportunidades no Japão andavam escassas.
Vieram para trabalhar em fazendas de café. A vida era dura e os rígidos costumes da família não facilitaram a vida de minha mãe. Como era a única mulher e os irmãos trabalhavam na roça, era ela quem cuidava de quase tudo em casa.

De sua vinda ao Brasil, o que mais me impressiona é o flash de memórias do relato da viagem de navio. Foram 40 dias de viagem e ela não sabe exatamente porque, mas algumas pessoas faleciam no caminho e, apesar de pequena, ela diz que ainda se lembra do som agudo das cordas descendo em velocidade, rumo às águas, quando o corpo, envolto numa espécie de tina, era lançado ao mar.

Minha mãe conta que não foi fácil a adaptação no Brasil. Na escola que freqüentava, ela levava como lanche oniguiris – bolinho de arroz japonês, e as outras crianças não compreendiam o que ela falava e, irritadas, jogavam os bolinhos no chão!!!

A rotina de trabalho era espartana, mas ela se lembra da imensidão de árvores e frutas, colhidas dos galhos! Paradoxalmente, ela nunca quis voltar ao Japão, nem a passeio, e não sente a menor nostalgia em relação ao país.

A família de meu pai veio para cá em 1927. Meus avós casaram-se no Brasil e, dois anos depois, nasceu meu pai. Minha avó faleceu muito jovem, aos 26 anos, meu pai tinha 4 anos e foi criado pelos tios, a família Mori. Ele voltou a ver o pai com 18 anos de idade. Meu avô então, já casado novamente, teve 4 filhos do novo casamento.

Meus pais se conheceram em São Paulo e se casaram em 1956. Tiveram duas filhas. Meu pai tinha uma tinturaria e depois abriu uma loja de autopeças. Hoje ele é aposentado, tem 78 anos e adora pescar!!!

Ele sempre foi uma grande referência para mim, pois, como pai, ele sintetiza valores como dignidade, lealdade, paciência, bondade, generosidade. É, sem dúvida, uma das melhores pessoas que conheci!!!

Minha mãe tem uma energia incrível, aos 78 anos, ela faz ginástica duas vezes por semana, anda quilômetros, desce o pico do Jaraguá no mesmo pique que meu filho de 15 anos e ainda, quando vem até a minha casa, dá uma geral (risos)!!!

Ao contrário da maioria das mulheres japonesas, ela não tem nada de submissa e paciente, acho que herdei dela o potencial dramático, pois ela é extrovertida, brava, fala alto e não tem papas na língua. Brinco com ela, que para compor o meu personagem na novela “Pé na Jaca”da TV Globo, a Dona Mitiko, que na sinopse era um dragão, eu me baseei nela (risos)!!!

Meus pais são casados há 52 anos! Sou casada há 20 anos, com o ator Carlos Mani, e temos um filho de 15 anos, o Pedro Yugo Sano Mani.

Outro dia, um primo meu foi ao Japão e entrou em contato com nossos parentes de lá. Trouxe um vídeo maravilhoso, em que mostra uma espécie de mausoléu da família Sano. As cinzas de meu avô foram enviadas para lá e ergueram uma espécie de pequeno totem em sua homenagem. Achei belíssimo!


Enviada em: 09/06/2008 | Última modificação: 10/06/2008
 
« Cinema japonês, circo e baladas nikkeis

 

Comentários

  1. Renato Yassuda @ 10 Jun, 2008 : 11:25
    Prezada Cristina; Parabéns por seus relatos e por compartilhar suas experiências de vidas. Li seus fascinantes relatos que ao mesmo tempo mesclam assuntos triviais e corriqueiros com fatos eloquentes e grandiosos. A vida de uma pessoa como qualquer um de nós e a vida de uma atriz foram muito bem apresentadas em seu relato. Parabéns também à você e seu marido por seu bonito núcleo familiar. Me fez refletir em ser menos exigente e duro com meus filhos. Afinal, não podemos esquecer que: "Posso curtir só o lado positivo da cultura japonesa, mas não preciso conviver com nenhuma das arraigadas hierarquias existentes no Japão" como você tão bem expressou e cobrar de meus filhos os bons valores que herdamos de nossa descendencia japonesa, sem exigirmos demais deles. Obrigado por frisar este conceito em seus textos. Se puder, leia também meu relato neste site (Perfil: 205 / Renato Yassuda). Ficarei honrado e grato. Saúde e paz. Desejo-lhe sinceramente que a vida lhe proporcione muitas alegrias e realizações.

  2. Luis Guilherme @ 10 Jun, 2008 : 14:41
    Parabéns, Cristina. Acompanho sua carreira desde "Roda de Fogo"... como esquecer a 'Florzinha do Oriente'!? Lembro-me que havia na época até um bloco de escola de samba na Liberdade com o nome da sua personagem! Não sou descendente de japoneses, mas admiro a cultura e o povo. O Japão trouxe grandes contribuições ao Brasil através de sua cultura, seus costumes e seu estilo de vida. A mistura de raças só enriquece a cultura de nosso país e a mistura entre o oriente e ocidente nos mostra que é possível absorver o melhor desses dois mundos e deles criar o novo (como bem relatado em sua história de vida pessoal!). Espero que você continue a nos brindar com seu talento e beleza em outras produções. Estaremos aguardando.

  3. Massaiuki Nagai @ 10 Jun, 2008 : 15:04
    Lendo os relatos de Cristina Sano, reportei-me à minha própria história, pois minha família também veio do japão por parte de mãe, e do interior por parte de pai. Também casei-me com uma brasileira e minhas duas filhas são, portanto, mestiças. Não sei como seria se tivéssemos nascido Japão... não sei se me acostumaria com o estilo de vida japonês! Aqui no Brasil temos uma liberdade de ações que, provavelmente, não teríamos lá, por outro lado, há muitas coisas da cultura oriental que nos fazem falta por aqui, como a questão da 'honra', por exemplo... do jeito que nossos políticos são, se houvesse o 'haraquiri' por aqui não sobrariam muitos!! Parabéns pelo seu relato, pela sua linda família e por seu trabalho.

  4. Paula von Kostrisch @ 10 Jun, 2008 : 15:22
    Cristina, você escreve de uma forma maravilhosa e muito tocante! Seus relatos me emocionaram em vários momentos, mas especialmente dois deles me tocaram bastante. O primeiro é quando você fala da sua relação com seu pai, da paciência e ternura que eram tão presentes na sua infância. O segundo é quando você nos conta um pouquinho do seu início de carreira, da sua coragem em seguir sua vocação, apesar de saber que não havia muitos atores japoneses por aqui, o que, no mínimo, era um prenúncio de que seria muito difícil você trabalhar na área que escolheu (ainda bem que você não se deixou levar por essas crenças...). Parabéns pela sua coragem e talento! E obrigada, sobretudo, pela sua generosidade em partilhar um pouquinho de sua vida com todos nós!

  5. Inês Azevedo @ 10 Jun, 2008 : 15:25
    Adorei saber que você, como brasileira, adora ser japonesa!!

  6. marta @ 10 Jun, 2008 : 20:57
    Olá Cristina,estou aqui para dar os parabens a você.Amei sua personagem na novela Pé na Jaca.Quero saber se vc ainda continua a atuar em novelas,ou fazendo teatro,nos avise ok.Você demonstrou e quebrou tabus atuando como uma Excelente atriz.Mas quem nasce para ser estrela,sempre será uma estrela.Que Deus abençõe você e toda sua familia. Bjo grande. Com carinho..Marta

  7. Cristina França @ 10 Jun, 2008 : 20:59
    Sou do interior de São Paulo, de um Bairro que se chama Primeira Aliança, que pertence a Mirandópolis, A Primeira Aliança foi fundada por um Japonês, e eu cresci no meio dessa cultura, na verdade eu até me sentia intrusa,rs,rs,rs,rs,rs Na escola tinha mais japonês que Brasileiro. Aprendi muito da cultura deles. E foi lá nesse Bairro, assitindo televisão, que ví Cristina sano pela primeira vez. E eu admirava, achava lindo aquela Japonesinha atuando, eu sempre fui louca por televisão, teatro. Na verdade nasci atriz, só não segui carreira. Passei a admirar aquela atriz, uma japonesa na televisão,rs,rs,rs,rs,rs,rs Até que um belo dia entrei no Orcut, e fiz uma comunidade para homenagea-la. Hoje somos amigas, do Orcut. Fiquei emocionada lendo sua história, e agora passei a admira-la mais ainda. Mesmo depois de tantos anos, continuo sua fã. Lendo a história da sua mãe, hoje sei o que não foi só eu que sofri com as diferenças culturais, minhas amiguinhas japonesa, devem ter sofrido muito também. Dancei muito Bon Odori, comi muito Udon, e toda vez que vou para o interior a primeira coisa que faço é comprar Manju. Viva você Cristina Sano, e o Japão, que nos mandou um pouco de sua cultura.

  8. Luciana Sano @ 10 Jun, 2008 : 21:02
    Oi Cris, tudo bem? Só assim mesmo pra gente se ver (fotos e novelas) hein? Ainda bem que você não entrou nos detalhes da família, né? Senão... Ia ser uma longa história. Estava vendo as fotos, as de Piedade principalmente, fiquei triste que minha mãe não aparece nela... Mas vendo a foto, me veio na cabeça de como o tempo passa, né? Quando puder me manda uma cópia do vídeo do Mausoléu da família Sano, também faço parte dela né? Beijos.

  9. MIRIAM RIECO ITO @ 10 Jun, 2008 : 22:20
    OI CRIS !!! TUDO BEM ? Parabéns pela excelente atriz que é, pelo seu carisma e simpatia ... o que você descreveu acima nos deixa sem palavras, todas nós descendentes, temos uma história a contar e você compartilhou conosco essas experiências de vida de uma forma simples, mais tocante, me emocionei muito. Vendo a sua galeria de fotos, muitas delas fizeram me lembrar as passagens de minha infância, o sitio do meu odithan, meus tios, primos, a família toda reunida... são boas e eternas recordações que ficam gravadas no nosso coração e que o tempo jamais poderá apagar... Mais uma vez parabéns, que continue sempre com sua carreira brilhante, muito sucesso, saúde, amor e muitas realizações pessoais e profissionais. Beijos, Mi

  10. Sílvio Sano @ 10 Jun, 2008 : 23:15
    Prezada Cristina. Acredite, não sou suspeito ao falar sobre você, porque, apesar de mesmo sobrenome, não somos parentes... penso eu (rs). Na verdade, seria menos ainda, porque o meu tataravô, foi ser "yooshi" (adotivo) em uma família Sano. Mas, essa questão paro por aqui. Vamos falar da Cristina que conheci na leitura de sua história neste marcante site da Abril ao centenário. Percebi muita afinidade entre nossas famílias, apesar de descrever muito pouco sobre a minha, em minha história, porque acabei sendo mais abrangente no tema da imigração. Mas, identifiquei muita sensibilidade de sua parte no que se refere à família e sua importância enquanto respaldo a uma boa formação. Está claro que já a transmite ao filho e parece-me que há reciprocidade da parte dele (tb tenho apenas um filho e tb não me casei no religioso - rs). Ao contrário de vc, sou casado com uma "japinha", mais do que pura (nascida lá mesmo), mas abordo o tema miscigenação como uma realidade incontestável e positiva, pelo intercâmbio cultural que possibilita. O meu filho, já caminha nessa direção. E assim, como o Mani, quem faz o café da manhã, em casa, sou eu! E, isso, há ~30 anos... além de lavar os pratos!! (rs) Parabéns por sua história, por sua desenvoltura, por sua carreira e pela família, estendendo-a aos pais. Um grande abraço... priminha (?)

  11. Edson vieira @ 11 Jun, 2008 : 14:59
    sempre me impreciono com a facilidade e clareza com que vc expoem suas ideias, e tão bom compartilhar de seus encinamentos. sempre serei grato por tudo que vc fez por mim, continue deixando sua alma de anjo brilhar para outras pessoas. abraço !!

  12. Sérgio Pizzy @ 11 Jun, 2008 : 17:47
    Oi Cristina, me emocionei muito ao ler sua história, sem dúvida muitos viveram histórias lindas como a de sua família! Voce poderia até escrever um livro e por essas lindas fotos para ilustrar, afinal vc é uma artista a frente de seu tempo. Rompeu barreiras dos anos 80, sendo uma grande pioneira e hoje é uma estrela da TV!Com certeza vc é uma peça importante para a Teledramaturgia e sem dúvida nos palcos também! O Carlos Mani, que também é ótemo, merece Congratulações por vcs formarem uma família muito linda ao lado de seu filho! Parabéns!!! Um super abraço!

  13. Fábio Gaia @ 11 Jun, 2008 : 19:03
    PARABÉNS CRIS SOBRESSALTO UM SILVO Noite, nos dias cotidianos Os anos, neste bosque urbano Terreno baldio Que dia é hoje? Um dia, eu soube Que é a vida. Sobressalto Só de passagem Minha sombra no asfalto Passa sem parar. Árvore feita em concreto á tua ferida. Meu corpo estremece Um silvo no ar. Tudo dito Gato vadio, Lixo revirado, Nada feito. Essa desconhecida, ansiosa e breve coisa, Pinga uma estrela no meu olhar. Saudades e lembranças, Hoje me fogem. Essa é a vida que eu querida, Reencontrar os meus sentimentos Tão teus. Mas, ninguém na estação Pena. Esta vida é uma viagem Fito e Deito."

  14. Kerstin @ 12 Jun, 2008 : 13:11
    Parabéns Cris, pela bela reportagem e por conseguir transmitir com tanta desenvoltura e clareza toda a tua história. Enquanto lia, todas as páginas, era como se eu estivesse ouvindo você falando em qualquer de nossas conversas. Só posso dizer que estou muito feliz por ter a sorte de conviver, ao menos um pouquinho, com você , o Mani e o Yugo.

  15. Natália Raphaela @ 12 Jun, 2008 : 18:48
    Grandes lembranças e recordações que perpetuam não só na memória como também registrada nessa sua escrita. Você tem uma linda história familiar. Amei as fotos: não podia faltar uma da época de Chiquititas (doce lembrança da minha infância!). Tenho um carinho enorme por você. Te desejo muito sucesso!!!

  16. Cristina Mira @ 13 Jun, 2008 : 10:22
    Cris, que linda história. Sua descrição do navio que trouxe a sua mãe, o perfil do seu pai, o filme sobre o mausoléu da família, é como seu estivesse assistindo um filme. A descrição está repleta de afeto, respeito, delicadeza e força. Tudo que vale a pena viver na vida! Beijo para você, Yugo e Mani

  17. Silvia Sano @ 14 Jun, 2008 : 07:01
    Oi Cris... puxa q legal!!! Adorei esta materia. Parabens por representar mais uma vez a comunidade niponica, ajudando a enriquecer mais e mais a historia de nossas origens. Adorei tambem as fotos (alias eu to numa delas... xik neh). Me fez voltar a infancia, rememorando as festancas junto aos nossos avos e a grande familia. E que familia!!! Saudades. Dityan e Batyan com certeza sentiriam muito orgulho desta historia maravilhosa. Assim como eu estou sentindo agora. Estou agora doutro lado do mundo, mas sempre estarei torcendo para o seu sucesso!!! beijos (Ah, fala pra Luciana que naquela foto so estao os primos)rsss

  18. Rafa @ 16 Jun, 2008 : 12:54
    Uau, blz, gostei! :)

  19. Danila @ 18 Jun, 2008 : 13:56
    Sou sua fã desde Bebê à Bordo, o que voce está fazendo agora?

  20. Lorenzo @ 18 Jun, 2008 : 19:49
    Oi Cristina, Consegui ler o artigo somente hoje. Parabéns pelo sucesso. Espero um dia trabalhar ainda junto com você. Eu não perdi a esperança. Nós estamos passando, no Arsenal, um período difícil, mas estamos bem. Até presto. Lorenzo

  21. Yumi @ 20 Jun, 2008 : 12:32
    Seu trabalho é maravilhoso, nos 100 anos deveria ter mais japoneses na TV e no cinema. Um beijo

  22. Paulo @ 21 Jun, 2008 : 15:28
    Omedetô, Cristinassan, banzai Brasil e Japão! Aqui do outro lado do continente a saudade é forte.

  23. Kazuo @ 23 Jun, 2008 : 23:33
    Você é nossa ídola, saudades, bjs...

  24. Regina Sano @ 24 Jun, 2008 : 15:04
    Oi, Nê (netian - irmã mais velha em japones). Tenho que te chamar assim. Fiquei comovida também com o relato da nossa família. Te desejo tudo de bom. Torço muito por voce, apesar de nossos "paus" de vez em quando. Que seus sonhos todos se realizem, pq são parte dos meus sonhos também.... bjs.

  25. Sílvio Sano @ 24 Jun, 2008 : 22:23
    Querida Cristina, não sei se somos parentes, mas quando estive no Japão fui visitar alguns tios de sobrenome Sano na Província de Gunma, terra de seu pai. O meu pai é da Província de Mie, mas os tios de Gunmma são primos diretos. Será? Será?Bjs.

  26. Issamu @ 26 Jun, 2008 : 23:08
    Te acho linda e talentosa, parabéns por seu trabalho, sempre inovador.

  27. Nana @ 2 Jul, 2008 : 13:19
    Que maravilha de escrita, lindo seu perfil, parabéns, bjs!

  28. Duda @ 12 Jul, 2008 : 04:03
    Ah, maravilha, saudades de ver você interpretando. Bj

  29. Aparecida @ 14 Jul, 2008 : 11:57
    Você é muito querida, sou fã e admiro seu talento, quando vamos ver você de novo na TV?

  30. Fábio @ 14 Jul, 2008 : 23:05
    Te vi no 9 mm, show!

  31. Carla @ 25 Jul, 2008 : 18:08
    Onde foi a peça da foto?

  32. japa pobre @ 25 Set, 2008 : 02:47
    so fã dela

  33. Amilton @ 26 Fev, 2009 : 14:50
    Que legal! Onde andas? Pode me passar seu contato?

  34. Jair @ 25 Mar, 2009 : 12:08
    Sou fã!!!

  35. Cristina Sano @ 4 Abr, 2009 : 09:56
    Queridos, muito obrigada pela gentileza! Fiquei imensamente feliz com o carinho de todos! Agora estou escrevendo roteiros para uma novela em Maputo, África, em parceria com a Pati Curti, roteirista das melhores! Aproveito também para convidar a todos os que visitarem este site (maravilhosa homenagem à comunidade nipo-brasileira), para o curso "Desinibição e Comunicação". Entrem no site www.sanomani.com.br para maiores informações, grande beijo,

  36. Luciano Boiteux @ 10 Set, 2009 : 16:17
    Cristina, Estava aqui agora fazendo o site de um ator - Vitor Hugo - e por algum motivo lembrei de você, ou melhor, da Grega, de Bebê a Bordo. Procurei no Google, encontrei-a e acabei chegando até aqui. Parabéns! Sempre gostei de te ver na TV. Desde molequinho te achava linda. Beijo!

  37. Cristina Sano @ 11 Out, 2009 : 13:37
    Muito obrigada, Luciano! É tão bacana quando encontramos pessoas que se lembram de nossos trabalhos. Fiquei muito feliz! Desejo-lhe tudo de melhor, beijo!

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Nenhuma árvore.

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

Conheça mais histórias

mais perfis » Com o mesmo sobrenome

mais perfis » Com a mesma Província de origem

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados