Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaLuís Yukio Kusano › Minha história

Luís Yukio Kusano

Taubaté (SP)
78 anos, empresário

Fuga para Tóquio


Nasci em 23 abril de 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, na cidade de Iwaki (na época chamada de Taira), Província de Fukushima, a cerca de 180 quilômetros de Tóquio. A situação da maioria das famílias não era fácil. Eu vivia na cidade, mas tive que me mudar para o campo, onde o perigo de bombardeio era menor. Lembro-me de que no campo não havia janta todos os dias.

Sou o caçula de nove filhos. Naquela época, o governo japonês incentivava as famílias a terem muitos filhos para trabalharem como soldados na guerra. Meu irmão mais velho, Yamato, foi lutar na China. Estava retornando ao Japão, quando foi pego pelos inimigos na Rússia. Mas, depois, conseguiu voltar. Lembro-me da felicidade dos meus pais ao receber meu irmão.

Acordamos às 2 horas da madrugada e fomos até a estação de trem que ficava a 15 quilômetros de distância, a pé, no escuro, sem lanterna. Ele chegou só ao amanhecer. Tivemos sorte, pois muitas famílias sofreram com a perda de seus filhos na guerra.

Meu pai trabalhava como policial, mas o salário não dava para sustentar toda a família. Ele montou uma serraria, onde trabalhava com ajuda dos irmãos.

Eu estudei o primeiro grau completo, que era obrigatório. Adorava mesmo era a aula de ginástica -jogava futebol americano, softbol, etc.

Ajudava um pouco minha mãe no campo, a pegar lenha, na horta, a colher batata doce. No inverno, adorava patinar no gelo, e no outono, pular de galho em galho, como um macaco, para comer frutas como pera e uva.

Eu gostava quando tinha casamento e enterro, pois podia comer pratos gostosos. Esses eventos duravam cerca de uma semana e reunia pessoas de toda a vila. Cada pessoa que chegava trazia uma ajuda em dinheiro e comida.

Quando minha avó paterna faleceu, demorou 3 dias para enterrá-la, pois, no calendário tradicional, há dias certos para fazer o funeral, assim como há dias certos para realizar os casamentos.

Quando completei 16 anos de idade, meu irmão queria que eu ajudasse na serraria. Eu fugi, sem nada, para Tóquio, onde vivia minha irmã Ikuko. Ela vivia numa situação financeira melhor. Em Tóquio, morei durante 7 anos, até resolver ir para o Brasil.


Enviada em: 24/01/2008 | Última modificação: 10/03/2008
 
« Tédio no navio

 

Comentários

  1. Elisa K. @ 6 Mai, 2008 : 15:41
    Sr. Kusano, fico feliz ao saber que o saldo destas idas e vindas que o destino lhe reservou, tenha resultado nessa estabilidade que lhe permite gozar dos elementos mais simples da vida, como a jardinagem e eventuais viagens. Foi necessário percorrer milhares de quilômetros nessas andanças, para concluir que a felicidade estava tão próxima: o afeto de amigos e familiares. Um bem que não conhece país. Abraços, Elisa.

  2. Yamato King @ 20 Mai, 2008 : 22:16
    ...Historia muito comovente a de Vossa Pessoa!

  3. Mariana C. @ 15 Abr, 2009 : 11:10
    Sr. Kusano, achei muito interessante a sua história e de sua família, fico feliz que o senhor as tenha compartilhado. Felicidades! :)

  4. mario katsuhiko kimura @ 15 Abr, 2009 : 20:18
    Kusano-sam, Parabens pelas narrativas. Vejo que a crise é ciclica, meus pais vieram em face da crise da primeira guerra e depressão do EUA, o senhor em razão da crise em decorrencia da segunda guerra, de certo ocorrerá outras imigrações em face da atual crise. Saude, paz e sucesso nos seus sonhos

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Nenhuma árvore.

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados