Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaMari Kanegae › Minha história

Mari Kanegae

São Paulo / SP - Brasil
63 anos, artista plástica e professora de origami

A arte da comunicação


Quando eu tinha 4 anos, fomos ao Japão conhecer meus avós. Eu só falava português, e eles não entendiam nada. Minha avó materna fez então um origami para mim. Foi a única forma que ela encontrou para se comunicar comigo, e isso marcou meu primeiro contato com a arte. Continuei praticando origami em casa, mais como hobby, até entrar na ECA [Escola de Comunicação e Artes da USP], em São Paulo, onde escolhi cursar licenciatura em Artes Plásticas. Para me formar, fiz estágio em uma casa de cultura no bairro de Santo Amaro, para crianças carentes.

Logo percebi que nada daquilo que a gente ensinava poderia ser reproduzido pelas crianças em suas casas, pois lá não havia tinta, guache, pincel, argila, nenhum material. Então lembrei que, quando criança, brincava de origami com jornal, revista, papel de embrulho, qualquer coisa. Pedi para as crianças trazerem de casa os papéis que estivessem sobrando, ensinei a cortar o papel quadrado, e assim começamos a fazer origami, junto com outras atividades.

Para mim foi uma experiência muito rica. Elas começaram a misturar origami com outros materiais, como argila, coisa que nunca pensei que fosse acontecer. Notei também que as crianças levavam pra casa e ensinavam a família, a mãe principalmente, e depois as mães vinham conversar comigo querendo aprender mais. Foi uma forma de conhecer a comunidade, ser convidada pra almoçar na casa dessas pessoas, e fiquei muito feliz, pois me mostrou que o origami é realmente um elo de socialização muito forte. Na verdade, as pessoas é que me mostraram a importância que o origami pode ter.

Decidi levar isso a sério e passei um ano no Japão, em 1984, para pesquisar a história, a filosofia e as técnicas. Um dia, fui a uma exposição muito bonita de um mestre de origami que, por coincidência, percebi ser o autor de um dos livros que eu tinha no Brasil, Toyoaki Kawai. Havia um concurso onde ele dava um esquema e tínhamos que preparar o origami de acordo. Ganhei o concurso e acabei me tornando sua aluna!

Foi um aprendizado que não se encontra nos livros. Quando voltei, comecei a dar aulas na Aliança Cultura Brasil-Japão onde estou até hoje, faz mais de 20 anos. Durante esse período, voltei várias vezes ao Japão para me aperfeiçoar, participei de diversas exposições, simpósios, e convenções internacionais, publiquei dois livros sobre origami e organizei outro, sobre os grandes mestres. Também mantenho contato com professores de outros países.

Depoimento ao jornalista Leonardo Nishihata
Fotos: Carlos Villalba e arquivo pessoal de Mari Kanegae


Enviada em: 05/03/2008 | Última modificação: 04/06/2008
 
« Dobraduras orientais Imigrantes diferentes »

 

Comentários

  1. Sílvio Sano @ 6 Mar, 2008 : 19:52
    Olá, Mari-san. Que bom que vc tb está por aqui para poder mostrar, com sua forma espontânea de ser, que o origami não é apenas uma dobradura de papel. O exemplo com as crianças carentes e seus pais é prova disso. Sem contar a criatividade das mesmas. Mas a sua postura na relação com o aluno é que me chamou a atenção porque, muitas vezes, troca de posição com ele, interage mesmo. Ou seja, o aprender é uma constante em sua vida. Por isso considero que a sua criatividade incrível, a grande variedade de obras e as formas como as apresenta são apenas conseqüências. E daí porque tenho a certeza de que a exposição do origami no Anhembi vai acontecer, sim! "Sugoku kitaishiteruyo!" Abraços

  2. Tereza Yamashita @ 14 Mar, 2008 : 14:58
    Oi, Mari. Muito legal a sua história! Adorei ter aulas de origami com você. Beijos e saudades. Tereza Yamashita

  3. Maité Kulesza @ 26 Mar, 2008 : 09:25
    Oi, Mari! Que bom ouvir um pouco mais da sua história e confirmar o porquê da sua simplicidade. Trago sempre comigo o que o que aprendi da alegria de dobrar papel com vc e a Alice... Beijocas com saudades

  4. Carminha @ 21 Abr, 2008 : 22:49
    Oi Mari, que bom te conhecer melhor. Estou fazendo minha monografia sobre a aplicabilidade do origami na educação e estou lendo vários textos seus. Abraços Carminha http://mcmgarcia11.blogspot.com/

  5. alzira cattony @ 10 Mai, 2008 : 17:07
    Mari, você mora no meu coração, apesar de não ser descente de japoneses, foram suas aulas que me fizeram apreciar a cultura japonesa. Hoje o origam faz parte da minha vida a tal ponto que vou fazer três exposições para comemorar o Centenário da Imigração japonesa. E o me deixa muito feliz é que tenho o direto de usar o Selo do Centenário. Muito obrigada. Alzira

  6. nilza @ 19 Jul, 2008 : 18:39
    Grande admiradora da arte de fazer origami. Gostaria de saber como receber noticias de exposições e pessoas que praticam essa arte. Sou de São Paulo ,bairro do Brookilin. meu email para contato é nilzaornelas@yahoo.com.br

  7. Solange Rodrigues Borges Tex @ 7 Ago, 2008 : 22:51
    Oi Mari!É honroso dizer que já fui sua aluna,por você ser essa pessoa maravilhosa,e a cima de tudo uma grande Mestra de Origami.Beijos e muito sucesso.Sol Tex

  8. juliana kanegae @ 15 Mai, 2009 : 09:38
    oi mari, talvez nos sejamos parentes........ boa a sua historia fik com Deus

  9. grabriel @ 30 Jun, 2009 : 09:38
    buceta gostosa do mundo inteiro

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

Conheça mais histórias

mais perfis » Com a mesma Província de origem

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados