Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaErnesto Akito Kondo Komatsu › Minha história

Ernesto Akito Kondo Komatsu

São Paulo / SP - Brasil
44 anos, médico

Idas e vindas


Eu, Ernesto Akito Kondo Komatsu, nasci em 01/11/1975, na cidade de São Paulo. Meu pai, Hyogen, japonês, nasceu na Província de Akita, situada a nordeste da ilha de Honshu e famosa por ser produtora de arroz. É o caçula dentre os nove filhos de Ryuzo e Yuri Komatsu. Após terminar o colégio nesta Província, ele se mudou para Tóquio, onde cursou a faculdade de agronomia e conseguiu um emprego na JAMIC (órgão do governo japonês que auxiliava os imigrantes japoneses que chegavam ao Brasil), que posteriormente passou a ser conhecida como JICA (Japan International Cooperation Agency), onde continuou trabalhando até se aposentar, em 2005.

Minha mãe, Patrícia, quarta filha de Akira e Hatsu Kondo, nasceu no Japão, na Província de Ibaragi, a cerca de 100 km a nordeste de Tóquio. Meu avô era dono de uma fábrica de lâmpadas, mas após a Segunda Guerra foi obrigado a fechá-la, decidindo imigrar para o Brasil, mais precisamente para Belém do Pará, trazendo consigo sua família, inclusive minha mãe, com cerca de 9 anos de idade. Viveram em Belém do Pará durante dois anos e migraram depois para São Paulo, onde minha mãe estudou e se formou na faculdade de letras. Posteriormente, através de uma bolsa de estudos, ela conseguiu fazer um curso na Universidade de Sofia, em Tóquio, retornando assim à sua terra natal, onde conheceu o meu pai.

Logo depois que minha mãe retornou ao Brasil, meu pai, coincidentemente, foi transferido para agência da JAMIC localizada na cidade de São Paulo. Eles se casaram e tiveram dois filhos: eu e minha irmã Fabiola.

Passado algum tempo, meu pai foi novamente transferido para o Japão. Assim, aos três anos de idade, fui morar, com a minha família, na Província de Gunma.

Quando completei 6 anos de idade, meu pai foi transferido mais uma vez para São Paulo. Voltei sem saber falar uma palavra em português. Fui estudar na escola Centro Educacional Pioneiro e me lembro vagamente que alguns meninos da classe diziam: “Coitadinho... não sabe nem falar português...”.

Lembro também que eu fiquei feliz quando minha mãe pediu um bloco de papel na papelaria... achei que ela iria comprar peças de brinquedo!!! (no Japão, naquela época, as peças do brinquedo que hoje conhecemos como Lego eram chamadas de “burokku”).

Fiz o curso primário de língua japonesa em casa, através de um curso por correspondência, com o auxílio do meu pai. Várias vezes eu queria brincar ou assistir TV ou filmes, mas só podia me distrair após terminar os deveres. Hoje, eu acho que valeu a pena ter estudado.


Enviada em: 11/10/2007 | Última modificação: 11/10/2007
 
« Meu irmão Augusto

 

Comentários

  1. Angélica @ 11 Out, 2007 : 17:41
    Puxa, que linda história de vida! Parabéns!

  2. Roseli @ 13 Abr, 2008 : 01:02
    Parabéns pelo exemplo de vida! O Brasil necessita de médicos e pessoas como você! A mistura de culturas é o que nos enriquece! Que você e a Vivi tenham lindos filhos mestiços como os meus sobrinhos! Sucesso!

  3. Rosangela Lesnock dos Santos Yamasaki @ 14 Abr, 2008 : 11:44
    Sugoi a sua história heim,Ernesto!Parabéns pela lição de vida!Nossas historias acabam se encontrando,sou brasileira pura e estou no Nihon,tentando alcançar alguns dos meus sonhos!Ao contrário dos que os outros falam,existem pessoas muito amáveis aqui.Decidi após sete anos de Japão ,aprender a falar e ler nihongo.Hontoni muzukashi!Mas,daqui a algum tempo espero poder contar minha história de sucesso.Beijos e felicidades para voce e a Vivi!!!!Rosangela

  4. Rose @ 19 Jun, 2008 : 20:03
    Dr.Parabéns, gostei muito da sua história, achei muito bacana seu depoimento.

  5. Rose @ 19 Jun, 2008 : 20:03
    Dr.Parabéns, gostei muito da sua história, achei muito bacana seu depoimento.

  6. Suzana @ 24 Jul, 2008 : 16:18
    Que legal o seu relato!Tbm sou de Ibaragi por parte de mae.Precisando de alguma informacao da regiao pode me escrever maracuja_acai@hotmail.com

  7. Suzana @ 24 Jul, 2008 : 16:28
    Que legal o seu relato!Tbm sou de Ibaragi por parte de mae.

  8. Paula @ 28 Jul, 2008 : 12:19
    Eu treino no Kabukan, e muito embora o Harashima Sensei não esteja mais ensinando lá, o Kendo passa maravilhosas lições de vida. Espero que você não tenha parado de treinar. Faito!

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Nenhuma árvore.

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

Conheça mais histórias

mais perfis » Com o mesmo sobrenome

mais perfis » Com a mesma Província de origem

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados