Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaTizuka Yamasaki › Minha história

Tizuka Yamasaki

Atibaia / SP - Brasil
71 anos, cineasta

Costumes nipo-brasileiros


Quando eu era criança, via meus colegas fazerem a primeira comunhão e também quis fazer. Fiz catecismo, freqüentei as missas e, mais tarde, acabei levando minha mãe para a igreja católica! Ela ficou bastante dedicada à igreja enquanto eu a abandonava nos anos 60, atraída pelas idéias comunistas/materialistas da época. Hoje, mais amadurecida e espiritualizada, para mim, todos os deuses são válidos. Meu projeto cinematográfico atual é sobre uma personagem, a Pajé Zeneida Lima, detentora dos conhecimentos do mundo místico dos Caruanas do Marajó.

Na minha adolescência, nos anos 60, freqüentei a comunidade nikkei de Atibaia, que tinha uma organização muito clara. Havia o Clube dos Homens, o Clube das Senhoras e o Clube dos Jovens. Cada setor tinha obrigações a cumprir, coerentes com os eventos próprios para cada idade e sexo. Na sociedade dos "gaijins", em dia de baile, as meninas passavam a semana toda se preparando, experimentando roupa na costureira, comprando sapato novo, sacrificando-se no salão de beleza. Imagina que horror usar sapato novo de salto no baile. Mas a vaidade era maior que a dor. E ficávamos nos exibindo para os meninos, indo ao banheiro com a desculpa de retocar a maquiagem só pra chamar a atenção e sermos convidadas para dançar. Quando aqueles em que estávamos interessadas não vinham, desprezávamos os que atravessavam o salão cheios de coragem para nos tirar para dançar. Era uma época que o encabulamento nos fazia sentir abandonados, as meninas e os meninos. Ainda bem que os tempos mudaram com a conquista da liberdade feminina e, hoje, funciona para todos os sexos a prerrogativa da iniciativa.

Freqüentávamos também os casamentos e o matsuri, festa de agradecimento aos deuses pela colheita. No Japão, ela é comemorada no verão, entre julho e agosto, e aqui mantiveram a data. Tem ainda o undokai, que as crianças adoram, uma espécie de gincana, em que os prêmios sempre eram objetos úteis: cadernos, estojos e lápis para os derrotados. Tem o nodojiman, uma espécie de concurso para calouros, em que as pessoas cantam e ganham prêmios.

Os mais velhos da comunidade se sentiam responsáveis por mim, por eu ser órfã de pai e meu avô ter morrido quando eu era muito nova. Diziam assim: "Tizuka, não estude muito. Se você estudar muito, não vai conseguir marido." Se eu tivesse seguido esse conselho e ficado em Atibaia, provavelmente teria me casado com um rico fazendeiro plantador de morango e, de repente, poderia estar até melhor do que estou como cineasta (rs).

Minha mãe foi fundamental para nos encorajar a estudar fora. Não queria que ficássemos reduzidas a uma vida simplória numa cidade do interior. Ela queria que estudássemos, fizéssemos a universidade que ela tanto quis e, pelas circunstancias daquela vida, não pôde realizar. Talvez estivesse dando razão ao meu pai sonhador – criticado na época - que queria conquistar o mundo. Aos 15 anos, fui estudar o científico no colégio Roosevelt, na capital paulista. A Yurika foi depois. Na mesma época, eu estudei no IAD, o Instituto de Arte e Decoração, uma escola muito moderna, referência para quem queria se dedicar á programação visual e desenho industrial. Ali conheci e trabalhei com grandes nomes da arquitetura e das artes plásticas. Comecei a trabalhar como desenhista e o desejo de fazer arquitetura se fortalecia. Nessa época, em São Paulo, fiz parte de uma turma de estudantes nikkeys (alguns são meus amigos até hoje) e juro que me esforcei para me comportar como uma tradicional descendente, tentando ser aplicada nos estudos, ser mais discreta, mais feminina – enfim, ter o formato que qualquer mãe nikkey se orgulharia.

Prestei o exame na FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP) e tomei bomba. Fiquei furiosa porque fui mal em física e matemática, mas tirei 10 nas provas de criação e desenho. Atraída pelo ICA (Instituto Central de Artes) da UNB, em Brasília, escola moderna implantada por Darcy Ribeiro, embarquei para prestar o vestibular. Eu me lembro que minha mãe, assustada com a minha decisão, perguntou: “Pensou duas vezes?” Confirmei que sim. Na verdade, não pensei: fui no impulso. Talvez, empurrada pela necessidade de me afastar da pressão que eu achava que sofria da comunidade japonesa que freqüentava. Então, fui estudar arquitetura em Brasília. No primeiro semestre, fiz uma oficina básica de cinema. Foi aí que eu comecei a me interessar por esse assunto. O rascunho de cinema que eu tive contato na UNB me cativou, apareceu anunciando uma profissão estranha e atraente. Mais uma vez não pensei, e fui fazendo.

Depoimento à jornalista Renata Costa
Fotos: Everton Ballardin e arquivo pessoal de Tizuka Yamasaki
Vídeos e áudios: Estilingue Filmes


Enviada em: 11/10/2007 | Última modificação: 19/12/2007
 
« Cinema e identidade cultural Escola para meninas casadoiras »

 

Comentários

  1. fã da tizuka yamasaki @ 12 Out, 2007 : 14:30
    Tizuka yamasaki é minha "idola",muito obrigado por ter a coragem de fazer os filmes gaijins 1 e 2. Quando o filme gaijin 2 sai em DVD? Vai ter mini serie na tv globo sobre os filmes gaijins 1 e 2? Yurika yamasaki fez a novela haru to natsu da NHK.

  2. Priscilla Morato Weinketz @ 19 Out, 2007 : 13:00
    Gostaria muito de comprar o DVD do filme Gaijin, onde poderia comprá-lo? Sempre comento a história dos meus avós japoneses, toda a trajetória deles e entao é impossível nao mencionar este filme. Muitos amigos tem interesse em vê-lo.

  3. Rafael Irie @ 12 Nov, 2007 : 05:23
    Eu também espero pelo lançamento do dvd a muito tempo. Assisti no cinema Gaijin 2, e gostaria muito de mostrar para minha família toda.

  4. Rosely @ 21 Nov, 2007 : 11:29
    preciso do filme Gaijin para a escola, parece procurar agulha no palheiro, quero comprá-lo mesmo em VHS pois passo depois para DVD, se alguem tiver informações: roselya@terra.com.br

  5. Gilmar Souza @ 3 Jan, 2008 : 09:18
    Tizuka Yamasaki-san, sou extremamente apaixonado por seu trabalho e tua luta por estas pessoas que foram esquecidas dos livros de historia de nosso pais. Queria mais informações a respeitos de seus trabalhos e sobre a própria historia oriental de nosso pais, pois futuramente será minha tese de mestrado. Desde já agradeço e se puder entrar em contato agradeceria : gylmarkc@yahoo.com.br Arigato domo!!1

  6. Renato Yassuda @ 8 Jan, 2008 : 19:00
    Yamasaki Tizuka, li sua história e assim como seus filmes, agradeço por sua beleza simples e que lança um toque de especial aos fatos da vida. Gostaria que a senhora também pudesse ler meu relato, o que me muito me honraria. Obrigado.

  7. Kelly Nagaoka @ 27 Fev, 2008 : 09:33
    Querida Tizuka, lembrei de você agora que a minissérie Haru e Natsu está na Band. Há muitos anos você ousou no cinema ao contar a história dos primeiros imigrantes japoneses no Brasil. Obrigada! Abraços

  8. Gisele Maeda @ 17 Abr, 2008 : 19:58
    Tive grande prazer em ler esses depoimentos de Tizuka. Lembrei-me que, há uns dez anos se não me engano, tive a oportunidade de vê-la contando essas histórias durante um seminário em comemoração aos 100 anos do tratado de amizade Brasil-Japão, realizado na Universidade de Brasília. Na época, estava cursando jornalismo e fazia os cursos de língua japonesa, como disciplinas optativas. Foi nesse período que me aproximei mais da cultura japonsesa e passei a atender melhor, a partir do relato dela, muitas das minhas próprias "inquietações culturais". Muito bom poder reencontrá-la aqui nesse espaço.

  9. Kyoko Inoue @ 29 Abr, 2008 : 15:20
    Hello,I'm from Japan. I cannot understand this site say well... But finally I could find this site because I really wanna watch "Gaijin" & "Gaijin2". I have a friend who come from Brasil and his granpa & granma were Japanese. And I met some Brasilian who live in Japan. They are all good people. I really respct immigrants of Brasil. So I want to know more about Brasilian-Japanese. But I cannot watch & get this movie in Japan.... Please tell me how can I watch this movie. If someone had information about that please give me E-mail as below.Obrigada. periquitaamarela@yahoo.co.jp

  10. japa pobre @ 25 Set, 2008 : 03:05
    sou fã dela

  11. japones honesto @ 26 Set, 2008 : 01:15
    me orgulho do povo japones ser trabalhador, estudioso e honesto.

  12. abilio @ 28 Set, 2008 : 10:40
    a novela haru natsu que passou na band tv foi linda.

  13. sergio @ 28 Set, 2008 : 19:18
    Haru Natsu foi feito pela yurika yamasaki

  14. gaijin 3 @ 30 Set, 2008 : 00:29
    a historia de vida da tizuka yamasaki ja daria o filme gaijin 3

  15. pasteleiro japa @ 2 Out, 2008 : 00:58
    sou brasileiro nao desisto nunca

  16. Erica Mihara @ 20 Nov, 2008 : 09:49
    Adorei ver a sua obatchan Titoe contando a historia dela. Mande um grande abraco para ela e diga que todos nos decendentes devemos muito a nossos avos. Ja sou a 4a. geracao e nao tenho mais nenhuma batchan e jitchan por isso nao tive contato com a origem da minha familia aqui no brasil. Achei muito emocionante o depoimento da Titoe. Ela e um tesouro. ^^

  17. LUI CARLOS NUNES @ 5 Mai, 2009 : 07:42
    COMO CONSEGUIR COMPRARA VIDEO DOS FILMES GAIJINS 1 E 2. luixcarlosnunes@yahoo.com.br

  18. marina @ 24 Jun, 2009 : 00:08
    O filme foi muito bom, lindo emocionante.... Mas você Tizuka que é a melhor ditetora e roterista do cinama no Brasil, qua fala da imigração Japonesa; Deveria defender, digo fazer um filma das Brasileiras que não tem o olhinho puxado e se apaixonam por Descendentes de Japoneses, e são desgriminadas pelos pais, pelos amigos dos pais do conjuge ou namorado. Você deve ter tido dificuldade no inicio acho por ser filha de imigrantes achoo.. Bom o que quero dizer que sou casada com um descednete e sou descrimidada e conheço outras mulheres que relatam também, é muito clara e obivio o fato que eles vieram contruiram familias, mas a grande maioria não quer que os filhos se casem com brasileiras sem descendencia Japonesa, minha sogra me falou que agora que meu marido casou- se não tem mais geito vai misturar o sangue fazer o que!.. Fico orrorizada com um país que os acolheram tão bem e qualquer raça qua para cá vem e são tão preconceituozos, então abra os olhos desles com um filme seu mostre que somos todos iguais parante Deus... muito obrigada espero que dé certo.

  19. Adriana fukuda @ 21 Ago, 2009 : 23:41
    Gostaria muito de entrar em contato com Tizuka Yamazaki,sou brasileira moro a 15 anos no Japao. Tenhominha historia que gostaria muito de contar para ela,e divertida alegre e muito triste,a 3 meses fiquei viuva um casamento de 30 anos,queria contar as dificuldades que passei,para me encaixar nesse mundo niponico.vou deixar meu e-mail caso ela se enteresse filhinho_da_mamita@yahoo.com.br muito obrigada

  20. Luiza @ 22 Ago, 2009 : 07:34
    Sou sua fã, gostei muito de seus filmes.Abs, Luiza

  21. Marcos Antonio @ 23 Ago, 2009 : 10:23
    Gostei muito dos seus filmes e a história de sua avó é linda!

  22. nayr @ 29 Ago, 2009 : 04:31
    eu gostaria de entrar em contado com Tizuka, para enviar uma cópia do livro escrito por "Augy" meu marido, com o título "A Lenda do Sacy", para sua análise sobre a possibilidade de produzir um filme. meu e-mail - jade-lv@hotmail.com

  23. Giovanna @ 18 Fev, 2010 : 06:55
    Trabalho na Fundação Municipal de Cultura de Campo Grande- MS e temos o interesse de convidar a sra. Tizuka para um debate em nossa cidade. Favor entrar em contato o mais rápido possível. Grata Giovanna Auto Fundação Municipal de Cultura Campo Grande - MS Tel (67) 3314-3220 e 3314-433

  24. Heberson Kuriki Rissi @ 9 Set, 2010 : 13:56
    Sou bisneto de seu tio Kuriki, de General Salgado/Magda fazenda Macaubal, minha mãe morou em Atibaia no sítio de seu avô anos depois no Bairro Portão...Quando quiser trocar figurinhas, rsrs...Temos muitas fotos vou ver se posto elas, Abração!

  25. Heberson Kuriki Rissi @ 9 Set, 2010 : 14:02
    Ainda não tenho como comprovar a descendência Kuriki com a de Myamoto Mussashi, no momento certo poderei, tenho contato espiritual com este ser ancestral...

  26. Eliton @ 9 Nov, 2010 : 19:27
    Estou precisando comprar o filme ,onde posso encontrar, fico no aguardo obrigado, elitontorno@yahoo.com.br

  27. Francisco Hernandes @ 23 Dez, 2010 : 04:12
    Olá eu sou FRANCISCO HERNANDES ator, morro em Campo Mourão Pr. e tive um grande prezer de participar de uma cena do filme Gaijin 2 gravado em Londrina, gostaria de saber como faço para adquirir este Filme. por favor. meu msn :chicohernandes10@hotmail.com

  28. Humberto cineasta @ 13 Fev, 2011 : 10:28
    Ola amigos Gostaria de filmar meus roteiros com Tizuka Yamazaki. Humberto missaoculura.com.br estudo trabalho esperança bençãos

  29. Juracy Danhoni @ 28 Jun, 2011 : 17:55
    Procuro o filme Gaijin "Caminhos da Liberdade", pois necessito dle para complentar minhas aulas, onde posso comprar? jura_danhoni@hotmail.com

  30. antonia zepter @ 20 Set, 2011 : 19:41
    Ola ,trabalhei como figurante no filme Aparecida o milagre, mas uma das cenas que foi gravada que esperei tanto para aparecer não apareceu no filme.Gostaria muito de saber se tem como eu rever essa cena para eu guardar de lembrança. Era uma cena com a atriz Maria Fernanda Candido, no portao do Hospital Santos Dumont. Obrigada am.zepter@yahoo.com.br

  31. MegamiSyn @ 19 Out, 2011 : 15:30
    Gaijin Ama Como Eu Sou Se alguem saber aonde encontrar favor mande e-mail megamisyn@gmail.com Obrigada desde já...

Comente



 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados