Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaGeraldo G. Carsan › Minha história

Geraldo G. Carsan

Joao Pessoa / Paraíba - Brasil
56 anos, Fotógrafo

Timelife da minha vivência nipônica


1965 - Ano do meu nascimento no Rio de Janeiro
1967 - Mudei-me para o interior a Paraíba
1985 - Fui estudar na capital - João Pessoa
1988 - Formei em Adm. Empresas e depois fui conhecer familiares em São Paulo
1989 - Conheci Olinda Muranaka, filha de Kojiro Muranaka e Tokuko Ichikawa, residentes em Itaí, SP.
1991 - Casei com Olinda Muranaka e fomos para o Japão trabalhar como dekasseguis.
1991 - 1996 - Moramos nas cidades de Iwatsuki-shi em Saitama-ken; Kodaira-shi em Tokio-to; Oizumi-machi e Honjo-shi em Gunma-ken. Trabalhamos na Ito-pan (padaria), Koda-pan (padaria), Sanyo (ar condicionado) e Canon (impressoras) respectivamente. Moramos em apato, em riyô, em casa.
1996 - 2001 - Moramos em S. Paulo, no bairro Vila das Mercês, trabalhei numa empresa de telemarketing e numa de suporte em informática.
2002 - 2008 - Mudamos para João Pessoa, passei a trabalhar como fotógrafo em meu studio e faço fotos de eventos em geral.
2004 - 2008 - Sou membro-fundador da ACBJ-PB - Associação Cultural Brasil-Japão da Paraíba. Na primeira gestão fui o Secretário e na segunda, sou o Diretor de Comunicações, responsável principalmente pela manutenção do site (www.acbjpb.org) e no momento também exerço a função de Secretário em Exercício por motivo de doença da titular.
2008 - Estou completamente envolvido nos preparativos para a nossa IV Feira Japonesa de João Pessoa, onde comemoraremos o Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, com um grande evento nos dias 6, 7, 8 de Junho de 2008.

JAPÃO:

Prólogo:
Em 1989 eu fui a Sao Paulo conhecer alguns familiares e nessa viagem eu conheci a minha esposa Olinda Muranaka. Recem-saído da Universidade, tinha planejado o futuro de forma bem lógica: trabalhar e fazer carreira numa empresa de grande porte.
Eu comecei a trabalhar com empresas aos 14 anos, lá no interior da Paraíba, numa pequena cidade de nome Dona Inês, origem do meu pai.
A primeira foi a Guarabirense e a São Geraldo, empresas de ônibus estadual e nacional, respectivamente, vendendo passagens. Aos 18 anos ingressei no Unibanco. Aos 22 ingressei na Caixa Economica como estagiário. Nesse período, passei num concurso do Paraiban - Banco do Estado da Paraíba e no concurso da Caixa Econômica Federal.
Eu viajei a Sao Paulo e esperava ser chamado pela CEF. Estava bem próximo de chegar a minha vez. E lá em Sampa, também trabalhei num banco, o Geral do Comércio, que foi comprado pelo Santander.
Os familiares da minha esposa estavam se preparando para irem ao Japão, era o ano de 1990. Nem me passava pela cabeça deixar o Brasil.
Uma tarde, ao chegar do trabalho, havia um telegrama, cujo teor era se apresentar urgente no depto. pessoal do Paraiban, em João Pessoa.
Eu não tive dúvidas, pedi demissão no Banco Geral, avisei para a Olinda que viajaria e fiz tudo correndo. A idéia era que a CEF chamaria dentro de alguns meses e eu já estaria por perto.
Retornei à Paraíba e passei a trabalhar no Paraiban, na cidade de Caiçara, a 30 km da cidade onde mora o meu pai. Foi ótimo!
Uma vez lá, passados alguns meses, a Olinda pediu demissão no seu emprego de 5 anos lá em Sampa e veio para a Paraiba.
Ela chegou num 7 de setembro e dois dias depois o céu desabou sobre a minha cabeça e as cabeças dos brasileiros.
Naqueles dias, o presidente Fernando Collor assinou alguns decretos, entre eles o que fechava o Paraiban e cortava as contratações da CEF, inclusive da última turma que tinha sido convocada - a minha turma (pela ordem de aprovação) seria a próxima. E com esse pacote de medidas, ainda confiscou todos os capitais dos brasileiros por tempo indeterminado, lembram daqueles dias tenebrosos?
Isso ocorreu um dia antes de sair o meu salário. Fiquei super liso e ninguém tinha dinheiro, toda a grana presa nos bancos, que fecharam alguns dias e reabririam na segunda-feira.
Depois de algumas tentativas fracassadas do governo estadual para reabrir o Paraiban, super chateado com os acontecimentos, pois via os meus sonhos e planejamentos ruindo, surgiu mais uma vez a proposta de ir ao Japão.
Tomamos a decisão, avisei aos meus familiares e fomos para São Paulo, casar, arrumar a papelada e viajamos em 5 de março de 1991.


Enviada em: 25/05/2008 | Última modificação: 19/07/2008
 

 

Comentários

  1. Renato Yassuda @ 26 Mai, 2008 : 17:19
    Prezado Geraldo G. Carsan; Meus sinceros votos de sucesso para o evento que esta organizando para a comemoração do centenário da imigração japonesa aì em João Pessoa-PB e parabéns por seu relato.Por coincidência, administro uma empresa do setor de agronegócios próximo a Itaí-SP, que segundo você relatou, é onde você conheceu sua esposa. Saúde e Sucesso.

  2. Mauro Kyotoku @ 17 Jun, 2008 : 10:49
    Gera. A feira foi um sucesso e certamente uma parte da sociedade pessoense comemorou conosco os 100 anos da imigração japonesa no Brasil, (vejam em http://www.acbjpb.org/ivfeirajaponesa.htm). Assim como muitos nikkeis do nordeste e do Brasil. Eu pessoalmente comemorei bastante e sou testemunha que sua participação foi muito importante para este sucesso. Aproveitando este espaço solicitaria um depoimento seu sobre a experiência nipônica no Japão. Um testemunho de sua qualidade é muito importante para fecharmos este ciclo do centenário. Abraços Mauro Kyotoku

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Nenhuma árvore.

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

» Galeria de fotos

  • Nenhuma foto.

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

Conheça mais histórias

mais perfis » Com o mesmo sobrenome

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados