Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaPatricia Naomi Igai › Minha história

Patricia Naomi Igai

São Vicente / São Paulo - Brasil
43 anos, Tecnóloga

Fernanda Kaori Igai, 5 Gerações de Japão no Brasil


Vou contar a história da Kaori, minha filha, de 10 meses. Ela vive comigo e com seu pai Fabio, em São Vicente, a cidade mais antiga do Brasil.

Vocês devem estar se perguntando que tipo de história uma menina de apenas 10 meses teria para contar. Mas ela não começa no dia de seu nascimento, e sim no dia 18 de junho de 1908, quando sua trisavó paterna, Tsugui Ide, desembarcou do navio Kasato-maru em Santos.

Tsugui Ide e sua família foram para o interior de São Paulo trabalhar com agricultura.

Centenas de famílias de imigrantes estavam se estabelecendo nesta terra de novas oportunidades. Realizaram muitas conquistas, embora tivessem dificuldades de adaptação no Brasil, devido ao clima, alimentação, costumes e comunicação. Além de sofrerem com as conseqüências da 2ª Guerra Mundial.

Por exemplo, seu bisavô materno, Tokio Hashizume (que estaria completando 100 anos este ano), sofreu ameaças dos próprios conterrâneos, pois sabia das desvantagens do Japão na Guerra. Adotou esta Pátria, trabalhando arduamente para o seu progresso. Ele acreditava que aqui viveriam seus descendentes.

Tokio Hashizume, inicialmente estabelecido em São Paulo, mudou-se com a família para São Vicente, devido à uma bronquite. Graças ao ar puro e aos bons hábitos que adquiriu, como a pescaria e a boa alimentação, preparada por sua esposa Kinuko, viveu saudável até os 95 anos.

Hoje, a integrante mais antiga da família é a bisavó da Kaori, Shizu Matsuda, de 93 anos, única dessa geração. Ela sempre morou em Lins e trabalhou com agricultura ao lado de seu marido, Tozaemon Matsuda, que veio a falecer aos 98 anos na quarta-feira de cinzas deste ano.

Eu tive a oportundade de acompanhar de perto os últimos anos de vida dos meus avós Tokio e Kinuko, bisavós da Kaori. Aprendi muito sobre os idosos. Pude colocar em prática a Língua Japonesa e também toda a minha paciência. O "ojiichan" gostava muito de contar sobre as histórias de sua vida, e no final sempre se perguntava se tudo isso valeu a pena, como o fato de ter vindo morar em São Vicente.

A Kaori é uma menina muito feliz e saudável. Moramos justamente na casa que meu avô escolheu e viveu com minha avó durante 20 anos. Ela adora ir à praia, passear na Praça da Biquinha, na Plataforma de Pesca e no Horto.

Precisa responder se o "hijiichan" fez a coisa certa?


Enviada em: 23/02/2008 | Última modificação: 23/02/2008
 

 

Comentários

  1. Mayumi @ 24 Fev, 2008 : 10:40
    Naná, parabéns! A Kaori carrega todas as virtudes que sabemos das duas famílias, mas principalmente o afeto com que você e o Fábio fazem questão de prezar nossa história. Um grande beijo para vocês três.

  2. Shiguemi @ 24 Fev, 2008 : 14:23
    Naomi, Nós sempre aprendemos que temos que agradecer pelos nossos antepassados. A Kaori-tchan é fruto desse amor, orgulho e atenção que você sempre demonstrou aos mais velhos, quero dizer, mais experientes da familia. Parabéns.

  3. Takemi @ 25 Fev, 2008 : 09:58
    É emocionante relembrar as coisas boas que ojiichan e obaachan nos passaram e agora você está tendo a oportunidade de demonstrar todo o respeito e gratidão que devemos à eles. Parabéns pela linda família.

  4. Kazuko @ 25 Fev, 2008 : 13:56
    Naomi, parabéns pela iniciativa de através da sua linda filha homenagear nossos pais e avôs,que sem dúvida merecem toda a nossa admiração, por suas lutas e força de vontade para vencer todas as dificuldades por que passaram. Um beijo.

  5. Carolina @ 25 Fev, 2008 : 19:25
    Parabéns pela linda filha e pela bonita história, determinação, garra e perseverança são exemplos de que não existem barreiras qdo temos um ideal. Bjo

  6. nadir shinhe @ 26 Fev, 2008 : 00:08
    comovente a sua historia!!,fiquei feliz e emocionada de saber que ainda tem gente (como vc) que ama e respeita seus antepassados,parabens pela linda filha e continue sendo essa pessoa maravilhosa!abraços

  7. Amanda @ 26 Fev, 2008 : 17:21
    Por meio de uma pesquisa para a faculdade e procurando coisas sobre o centenário da imigração achei um link para a sua história linkada pelo rostinho da Kaori. É uma linda homenagem. E todos eles fizeram a coisa certa, por isso temos essa família que só traz alegrias. Beijos!

  8. Kaori @ 6 Jun, 2008 : 16:39
    Beijos! Ummmmmmmá!

  9. Rita de Cássia Arruda @ 10 Jun, 2008 : 10:05
    Prezada Patrícia: A Kaori é realmente um bebê muito fofo; linda mesmo. Faz-me lembrar aquelas crianças igualmente superfofas e comportadinhas daquele programa vespertino do canal NHK; dá até vontade de morder. Gostei muito do seu relato. A trajetória da trisavó paterna da Kaori, Tsugui Ide, bem como de seus bisavós maternos Tokio e Kinuko é bem parecida com a de centenas de outros imigrantes japoneses que escolheram o Brasil como sua pátria. Guardam, contudo, cada qual, suas singularidades e é isso o que faz com que cada uma delas seja única. Sorte a da Kaori de ainda poder conviver com a bisa Shizu. Parabéns pela bela família e por compartilhar conosco sua história.

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

Conheça mais histórias

mais perfis » Com a mesma Província de origem

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados