Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaJosé Carlos Inada (Tim) › Minha história

José Carlos Inada (Tim)

São Paulo / SP - Brasil
76 anos, Engenheiro eletricista e Técnico em Refrigeração

Minha vida profissional


Após a minha formação acadêmica, fui atrás de estágio. Ingressei como estagiário na Erickson do Brasil, uma empresa sueca no ramo de telecomunicações. Fizemos um curso com duração de três meses. O curso nos ensinou a fazer manutenção de centrais telefônicas do tipo PBX e PABX, que na época eram máquinas super-revolucionárias.
Começamos a trabalhar no campo: nas firmas que tinham os equipamentos da Erickson, quando um belo dia, recebi um telegrama da Cosipa, uma indústria no ramo siderúrgico, convocando-me para trabalhar como técnico de eletrotécnica, exatamente a minha formação. Não tive dúvidas, comecei a trabalhar imediatamente na cidade de Cubatão onde estava sediada a Cosipa.
Se arrependimento matasse, hoje, seria um homem morto. Trabalhei na pior poluição do Brasil, que era Cubatão, durante um ano. Após esse período, solicitei minhas férias, retornando à capital, onde fui procurar outro emprego.
Trabalhei na antiga Light, hoje Eletropaulo.
Na Light trabalhava fazendo manutenção de linhas de transmissão. Linhas com tensão acima de 88 kV.
Era uma equipe de aproximadamente 10 técnicos, eu era um dos responsáveis pelo centro de manutenção da Freguesia do Ó.
Trabalhava comigo o Roberto Roquelane, um gaúcho mal humorado, porém um grande companheiro e muito trabalhador. Gostava dele.
Tinha também um italiano, o Sérgio Ghezzi, Também mal humorado, porém com um enorme coração; de linhas de transmissão? Manjava muito. Aprendi muito com ele.
Após um período de aproximadamente um ano, fui trabalhar em Furnas, também com LT. Lá eu encontrei o Sérgio que tinha ido para lá antes.
Em 1980, comecei a trabalhar na Cesp com linhas de distribuição. Em 1990, ainda na Cesp fui transferido para um outro departamento trabalhar na área de projetos de linhas de transmissão. Em dezembro de 1998, aposentei por tempo de contribuição.
Durante mais ou menos dois anos fiquei apenas a mando. Isso mesmo: a mando da esposa, a mando da empregada, a mando de meus filhos, etc. Por sorte, ganhei um cruzeiro na promoção de um shopping center com direito a uma acompanhante. Essa viagem deu uma guinada na minha vida, conhecí um empresário que atuava no setor de refrigeração que me convidou para trabalhar na sua empresa. Para isso, precisava ter algum conhecimento de refrigeração. Procurei o SENAI. Fiz o curso técnico em refrigeração e climatização. Quando me formei, procurei pelo tal empresário e para minha surpresa ele tinha fechado a empresa.
O diretor da escola, sensibilizado com a minha situação, convidou-me para trabalhar no SENAI. Hoje, sou tutor do Ensino a Distância do curso de Refrigeração e Condicionador de Ar Residencial e instrutor do curso de Instalações Elétricas Residencial.
P.S. Hoje, 26/08/08, após 28 anos e 4 meses, reencontrei o amigo italiano Sérgio Ghezzi, lógico, mais velho, cabelos brancos, mais bem humorado.
Conversamos durante aproximadamente duas horas. Falamos de coisas do passado, dos filhos, etc., etc. Enfim, tentamos colocar as fofocas em dia. Será um dia inesquecível!


Enviada em: 16/07/2008 | Última modificação: 15/05/2013
 
Meus amigos »

 

Comentários

  1. nelsonsinzato@brturbo.com.br @ 13 Jul, 2008 : 11:46
    Prezado Sr. José Carlos, parabéns pela sua história e da sua família. História de lutas e superações. Meus pais também residiram em Tupã, próximo ao distrito de Parnazo, depois se mudaram para Dracena, onde nasci. Sou de geração posterior a sua (sansei), porém, lembro-me que minha mãe, as vezes nos contava esses fatos do pós gerra. Um detalhe importante do seu relato é a sua gratidão aos que proporcionaram a oportunidade de você estudar. Comigo também foi semelhante. Trabalhávamos na roça. Meu irmão mais velho, Nissam Francisco, não teve a oportunidade de estudar, porém empenhou-se ao máximo para que eu e meus demais irmãos pudessemos estudar, pois afinal a vida na roça é mesmo muito dura. A ele minha eterna gratidão. A você, obrigado pela oportunidade de relatar aspectos de minha família no seu espaço.

  2. Eduardo Romano Campos @ 23 Jul, 2008 : 16:32
    Olá Sr. Inada, como vai? Espero que esteja muito bem, pois sou muito grato a Deus e a você por ter me ajudado a mudar a minha história de vida. Seu ensinamentos são de grande valor para mim ainda hoje. Se me lembro bem, você sempre muito esforçado para passar o máximo de informações para seus alunos e eu estava lá. Muito obrigado por tudo que fez por nós e desejo que seja muito feliz e próspero em tudo o quanto fizer. "A perseverança é uma das qualidades dos vencedores!!" VALEU JAPA!!!

  3. KERLLY @ 23 Jul, 2008 : 22:16
    Oi,tio.Acabei de ler a sua história,fiquei muito emocionada,eu sei que a vida não foi nada fácil,p/vocês,lembro quando minha mãe me contava dessa infância,mas o mais bacana é que talvez por isso mesmo,a nossa família é tão unida,é a nossa "família buscapé".o resto eu vou escrever no meu espaço.....beijos

  4. MIDORI @ 24 Jul, 2008 : 23:05
    Pai!! Tenho orgulho de ser uma alegria na sua vida e da batalha que foi ter nos criado e educado com todo esforço e dedicação.Hoje você colhe frutos daquilo que plantou. Sou eternamente grata por tudo que fez por nós! Da filha que te ama, Midori

  5. Marisa @ 25 Jul, 2008 : 11:31
    Oi Inada tudo bem? Espero que sim sabe eu já havia recebido esse link mas realmente pensei que era virus (rsrsrs)que pena né! pois demorei mais para conhecer sua história que é um grande exemplo de dedicação, superação e gratidão, parabéns viu! e saiba que apesar da distância e do tempo que não nos encontramos você mora em meu coração e sempre me lembro de você com muito carinho. abraço, (PS.:) precisamos marcar para nos revermos.

  6. Eliana (Lili) @ 26 Jul, 2008 : 14:14
    Oi Inada, também demorei pensando que era virus. Sempre te achei um cara muito responsável e dedicado, mas não sabia que era tanto. Você sabe que sempre te admirei e o tempo que trabalhamos juntos foram os melhores. Te desejo toda a sorte do mundo e que agora você possa, como disse a Mi, colher os frutos de todo seu esforço e dedicação. Continue sendo um cara divertido e sincero e seu sucesso estará garantido. Abraços mil, Te adoro.

  7. Renato Yassuda @ 31 Jul, 2008 : 09:09
    Prezado INADA-san; Li seus relatos com muita alegria e atenção. Suas histórias são muito boas e transmitem sua alegria em apresenta-las as pessoas. Obrigado por compartilhar conosco e parabéns pelo neto. Quanto a bananeira, após dar o cacho, aquele pé de bananeira não produz mais e porisso é derrubado para liberar energia da planta para a frutificação da próxima haste e assim continuar o ciclo produtivo. Tenho um amigo aí de Tupã que também é engenheiro agronomo. Não o vejo a muitos anos e creio que até já se aposentou, o Satoru Ogawa. Se puder, leia meus relatos também neste site. Ficarei grato e honrado. Saúde e Paz.

  8. wellington @ 3 Ago, 2008 : 19:00
    Valeu pela sua história que pena que,seconhecemos a pouco tempo, mas Deus abençoe a vc e sua familia, e que possa ensinar por muito mais tempo principalmente em elétrica residencial um abraço de um de seus alunos. Deus te abençoe por que Jesus te ama.

  9. koiti @ 8 Ago, 2008 : 20:57
    È meu pai como já havia lhe falado, sua historia me emocionou bastante.o pouco q eu sabia ja tinha vc como heroi,o melhor pai do mundo!agora sabendo um pouco mais eu não tenho oq falar a seu respeito.eu quero lhe dizer que eu tenho muito orgulho de ser seu filho.acho que só eu e a midori sabemos oq passamos depois da separação,as dificuldades.mas graças a deus hoje tenho certeza que vc é uma pessoa realizada.pai te amo!!!!!!!!!! ps:helena obrigado por tudo que vc tem feito pelo meu pai.saudades!!!!!!!!!!!!!

  10. Bruno @ 1 Jul, 2009 : 11:39
    Oi tio... desde quando o tio tem esse relato??? Nunca tinha me falado... quem descobriu isso foi a Marcela... aí, ela achou que talvez fosse alguém da família... hehehehe Gostei muito da história. Acho que vou falar pro meu pai escrever a dele também... Só faltou falar dos seus sobrinhos queridos... hehehe Abraços.

Comente



 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados