Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaGraziela Mateus › Minha história

Graziela Mateus

São Paulo / SP. - Brasil
41 anos, Atendente

Coragem Oriental, uma qualidade que poderia quebrar um tabu.


Meu nome é Graziela, tenho 28 anos, trabalho em uma das Unidades do Serviço Social do Comércio e estou cursando graduação em Jornalismo.

Sempre me interessei pela Cultura Japonesa. Desde adolescentes, meus irmãos eram obrigados a ouvirem piadas de amigos do tipo:
Olha fulano, fala para sua irmã que vou puxar os olhos para entrar na turma dela ( esse era apenas um dos comentários que tinham que ouvir constantemente).

Quando conheci o meu primeiro namorado (é claro, não poderia deixar de ser oriental) meu pai ficou louco de ciúme. Sempre dizia que não gostava de japoneses, por achá-los frios e materialistas, e eu só para contrariar, dos poucos namorados que tive, todos foram orientais.Meu pai, por sua vez, nunca fez questão de recebe-los bem. Sempre insistiu na idéia de que eram pessoas calculistas.

Um certo dia, estávamos em casa em uma reunião de família (em dias assim, meu pai costumava pegar o violão e tocar modinhas sertanejas) e entre as músicas que ele cantou naquela tarde, houve uma em especial que deixou a minha mãe furiosa.O motivo, ele havia composto quando adolescente para uma namorada "japonesa" de quem havia gostado muito e que foi assassinada pelo próprio pai. Daí então, consegui entender o porquê da implicância com esse assunto.

Hoje, meu pai não está mais entre nós. Tenho certeza que depois que partiu pôde ter um esclarecimento sobre o que aconteceu no passado.

A violência não depende da cultura e sim do carácter, da criação.A violência está presente no Brasil, no Japão, nos EUA, na África e em toda a parte do mundo. Cabe a nós, seres humanos, mudarmos essa situação, educarmos nossos filhos, colocarmos mais amor e diálogos em nossos lares e fazermos com que ela diminua.

Eu, continuo apaixonada pela cultura japonesa, isso é um sentimento que vem da alma, não quero e não vejo como mudar.

Hoje, sou casada com um descendente e tenho um filho lindo chamado Hideo Sato (ele foi um verdadeiro presente de Deus) um pedacinho do Japão que estará para sempre comigo. Se o meu pai estivesse vivo, talvez conseguisse curar essa ferida do passado com a vinda do netinho, e mudar a opinião tão negativa que tinha com relação ao Japão, mas Deus sabe o que faz...

Meu esposo, é uma pessoa maravilhosa, um homem responsável, carinhoso, dedicado (não poderia ter feito escolha melhor).

Atualmente, ele mora em Toyohashi. Embora o Brasil seja um país maravilhoso e rico em muitos campos, existe uma certa deficiência na "área emprego"e se quisermos construir um futuro melhor para o nosso filho, temos que fazer como muitos, desmembrar nossa família, até conseguirmos alcançar nossos objetivos.

Esse seria um grande motivo de orgulho para o meu pai, e uma prova de que não devemos medir o carácter de uma pessoa pela sua origem, e sim por ela mesma.

"...Um homem com coragem o suficiente para deixar o filho e a esposa em um país e ir batalhar pelo futuro deles em um lugar tão distante, é digno de todo respeito e admiração que se possa ter por alguém".


Enviada em: 03/05/2008 | Última modificação: 04/05/2008
 

 

Comentários

  1. Melina @ 3 Mai, 2008 : 17:18
    Grazi.... Ah!!! Que lindo!!! Qdo vejo o esforço de vcs nesta situação tão dificil consigo até sentir o amor que o pequeno Hideo está cercado! Torço por vcs e espero que a condição no nosso país melhore, para que a sua familia volte a ficar unida e nunca mais, por nada, ficar separada! Bjuxxx

  2. Suelen Yguchi @ 5 Mai, 2008 : 17:48
    Essa é uma menina de ouro, tem uma história de vida que daria um livro, todas regadas de muita luta e beleza e olha que ela ainda é muito jovem. Conheço boa parte destas e muitas outras histórias e realmente, sempre tem alguma coisa de Japão dentro delas e também não por acaso sou sansei e amigona dela. Gabi, te amo muito menina! Você sabe que tem muita gente torcendo por vocês! Bjs

  3. Alex Penedo @ 6 Mai, 2008 : 15:04
    Em toda história de vida ha uma lição,um ensinamento,a da Graziela não poderia ser diferente,com ela aprendemos que o mundo da muitas voltas,que as veses precisamos aprender a sermos menos egoistas e deixar quem amamos partir para o bem de nos mesmos,de nossos filhos,para uma vida melhor.

  4. Nazaré Martiniano Reis @ 6 Mai, 2008 : 18:32
    Graziela... Parabéns... Fiquei emocionada ao ler sua história, ... São lições de vida como a sua que encontramos motivação e prazer para viver... Graças à Deus que ainda existe pessoas com valores nobres para compartilhar conosco... Obrigada pelo previlégio poder ler sua história um abraço Nazaré

  5. jaaziel @ 7 Mai, 2008 : 00:16
    Grazi,parabéns,uma linda história ,que todos os objetivos seus sejam alcançados,felicidades a todos ,bjuss.

  6. Tatiane Yguchi @ 7 Mai, 2008 : 13:01
    Linda história!!! Parabéns pela força e pelo sucesso. Q Deus abençoe vcs a cada dia e sinceridade e perseverança, seja presente em seus atos e reflexões. Seu bebê está lindo e fiquei feliz em saber q vc está estudando. Sucesso, paz e muito amor.... q sua vida transborde estes sentimentos.

  7. Flavio @ 7 Mai, 2008 : 14:06
    É Grazi, uma história que é a sua cara, batalhadora e sonhadora, e isso é bom, nunca dezista dos sonhos, pois senão eles desistirão de nós. Deus te abençoe. Bjão

  8. Graziela @ 7 Mai, 2008 : 15:27
    Obrigada Flavio, você é sempre tão gentil comigo, rsrsrs!

  9. graziela @ 7 Mai, 2008 : 15:38
    Pessoal, obrigada pelo carinho e amizade de todos. Sempre fui uma pessoa feliz por saber que tenho amigos que realmente gostam e me admiram. Beijão para todos...

  10. Vanessa Lima @ 7 Mai, 2008 : 17:16
    Grazi, sua história é realmente um belíssimo exemplo de amor e superação ao preconceito. Vocês merecem toda nossa admiração. Espero que continuem seguindo com bastante coragem para realização de muitos sonhos. Que bom que a cultura japosena está presente em sua vida, pois vai te trazer cada vez mais sabedoria e harmonia. Linda família! Super beijo.;-)

  11. Graziela @ 7 Mai, 2008 : 18:12
    Obrigada pelo carinho Va!

  12. Vagner Benicio @ 7 Mai, 2008 : 19:13
    História emocionamente de uma pessoa de coração puro, capaz de emocionar, amigos, colegas, família, com sua delicadeza, olha difícil de falar... "Aqueles que não criam o futuro que querem devem aguentar o futuro que recebem." (Draper L. Kaufman, Jr.) Grazi, parabéns por tudo o que acontece na sua vida e tudo o que venha acontecer, desejo todo sorte do mundo pra você de coração. "Nenhum de nós chegou onde está exclusivamente através do impulso de nossos próprios pés. Chegamos aqui porque alguém se inclinou e nos alavancou." (Thurgood Marshal) Bjos, parabéns..

  13. Graziela @ 7 Mai, 2008 : 20:06
    Va, você é demais (um amigo muito especial) fico comovida de ver o quanto você é sensível e se envolve com os acontecimentos. Te adoro muito, obrigada por tudo!

  14. Gabi @ 8 Mai, 2008 : 16:19
    Oi Gra, Sempre achei que vc era uma pessoa diferente, mas agora vejo que vc é muito mais!!! Sua história é extremamente rica e fala, através dos orientais e descedentes, aquilo que todos nós deveríamos aplicar na vida:a tolerância e o amor ao próximo indiferente de raça, credo ou origem.Parabéns pelo texto,bem escrito e claro, vc será uma excelente jornalista. Bjsss Gabi (SESC)

  15. Graziela @ 8 Mai, 2008 : 16:29
    Gabi, depois de ler o seu comentário vou trabalhar feliz o resto do dia. É uma honra receber um elogio de uma pessoa que pratica tanto a leitura como você. Um beijão e muito obrigada!

  16. Francélia, mais conhecida como Fran @ 10 Mai, 2008 : 11:49
    Gra, nunca tive vontade de ter uma irmã até te conhecer, alías acho que fomos separadas na maternidade e nos reencontramos agora, depois de muito pão com açúcar que o Diabo amassou. O fato é que se pudesse escolher uma irmã gostaria que ela fosse assim, de olho verde e com a cara e a coragem que você tem. Você conta suas histórias com a maturidade de alguém que sabe que a vida está aí pra ser vivida, aproveitada e às vezes superada, mas o mais importante é arrumar um tempo na rotina pra ser feliz. Espero continuar desfrutando da sua sabedoria por muitos e muitos anos, caso você não tenha nada melhor pra fazer. Eu só dispenso o pão com açúcar. Um Beijo.

  17. jailton, mais conhecido como jamilton @ 11 Mai, 2008 : 15:42
    olha só: minha irmã também casou com um descendente de japoneses, e os dois foram morar no japão (vai ser uma salada da peste: japonês com baiana!!!) vou passar o teu contato pra ela!!! saionará! e muita calma nessa hora...

  18. Renzo Morishi-ta @ 12 Mai, 2008 : 14:36
    Um dos melhores depoimentos que eu li escrito por um(a) ocidental. Estou vendo que você gosta da cultura e do povo japonês do fundo da sua alma. Percebo isto só de ler o seu texto. Nós, humanos, percebemos, sentimos isto. Você exime de culpa os japoneses pois os japoneses também são seres humanos e cometem erros. Nestes casos não se necessita provar nada, não é preciso muitas palavras para dizer que você gosta do povo japonês, os seus pensamentos, a sua filosofia de vida, a situação fala por si só. Nós apenas sentimos. Gostei como você pensa a respeito do povo japonês.

  19. Erica @ 13 Mai, 2008 : 00:01
    Oiii Grazi.. linda !! adorei !! Confirmo que o Cris é uma pessoa maravilhosa...rs ..com tantos anos de amizade... nao poderia dizer outra coisa dele!! voce casou com a pessoa certa assim como ele, apesar de nao conhece-la pessoalmente ja gosto muito de ti!! estarei sempre aqui torcendo por vcs!!beijinhos no coracao!!

  20. Cristian @ 13 Mai, 2008 : 10:30
    Uma vida marcada por alguns acontecimentos tristes, por vezes injustos, mas mesmo com tantas dificuldades nunca deixou de amar a todos e ser um exemplo para aqueles que a conhecem. Você é assim: batalhadora, corajosa, dedicada e muito, muito especial. Sua historia é linda e me faz pensar no quanto tenho sorte por ter sido escolhido para receber este amor. Parabéns pelo texto muito bem escrito (você é a minha jornalista nº1) e tenho certeza que tudo em “nossas” vidas vai dar certo! Te amo!

  21. Érica @ 14 Mai, 2008 : 10:38
    Gra, sua história testemunha o que infelizmente em nossa sociedade já virou clichê: a descriminação pela aparência. Mas testemunhos assim são fundamentais para tentar, pelo menos, diminuir e conscientizar sobre essas atitudes. Deus abençoe vcs! Um bjão, Eriquinha

  22. Renzo Morishi-ta @ 15 Mai, 2008 : 08:19
    De uma certa forma foi bom você não ter se tornado médica nem auxiliar de enfermagem. Você não se daria bem nestas profissões. Não quero dizer que você não seria competente. Você é muito sensível para tratar de pessoas sofrendo. Mas como jornalista você é uma profissional de mão cheia. Você escreve texto fluídos, agradáveis de se ler e nem percebi a hora passar. Prefiro você descrevendo o mundo através de textos, através de sua óptica de sensibilidade e com a qualidade de seus textos mobilizar as pessoas para todas as causas nobres.

  23. Graziinha @ 20 Mai, 2008 : 11:51
    euH sempre adoreii a cultura japonesa ^^ par mim tudo vontado a cultura japonesa e lindo eu sempre quis morar no japao adoro anime e magá outra paixao miinha ''Graziela'' seu nome e igualzinhu o meu =D voxe e kawaii ^^ bejinhus*

  24. Renzo Morishi-ta @ 21 Mai, 2008 : 14:53
    Você escreve: "Quando digo que você passou por situações parecidas com o que vivi ao longo dos meus 28 anos, não é porque acho que 28 seja muito,mas já comi o pão que o diabo amassou, na verdade, teve dias que se eu tivesse esse tal pão para comer dormiria feliz, mas pão na casa dos meus pais era luxo." ----- Existe uma frase que tomo emprestado de William Shakespeare e me concedo a liberdade de reproduzir aqui: "...Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou..."

  25. Rose / Tia Dode (atarefada) @ 21 Mai, 2008 : 18:48
    Gra, gostei muito do texto, acho que vc está se saindo uma ótima jornalista. Bom, o que dizer: você e o Tchanito são muito, muito queridos para mim e essa coragem, essa determinação, essa garra me faz admirá-los muito, vcs formam uma família abençoada que aguarda o momento certo, acredito que dentro da vontade do Senhor, para ficarem juntinhos desfrutando das coisas boas proporcionadas por este período difícil(muito difícil!...), e também do amor que os encorajam e os unem. Eu oro pra que Deus os abençõe e faça a Sua vontade em suas vidas. Amo vcs três.

  26. Alex S. da Silva @ 5 Jun, 2008 : 18:54
    Grazi, que Deus venha abençoa você e seu filho que estão aqui no Brasil e o Cris que esta longe e com certeza com muita saudade de você e do Hideo, parabéns pela sua incrível historia de vida. Eu e minha esposa estamos orando por você e pela sua família.

  27. Flavia Leme @ 1 Jul, 2008 : 17:32
    florzinha, tem certas coisas que a gente só é capaz de entender e assimilar depois de um certo tempo e você, como uma típica pisciana, tem o coração generoso e os olhinhos doces, para ver e entender à tudo e a todos! estou enternecida por saber um pouquinho mais de ti e também muito contente pela a gente ter se aproximado! um beijo de 'zoinho' puxado, rs.

  28. MAURO @ 7 Mai, 2010 : 09:55
    QUERIDA VC ESTA DE PARABÉNS, TENHO CERTEZA SE VC QUISESSE RESCREVER UM LIVRO VC CONSEGUIRIA VC TEM TODO POTENCIAL TE DESEJO SORTE POR VC FALAR DA SUA HISTORIA DE VIDA TÃO LEGAL, PARABÉNS MESMO PBS: MAURO

  29. Graziela @ 7 Mai, 2010 : 11:28
    Oi Mauro, tudo bem? Obrigado pelo carinho e por ter disponibilizado do seu tempo para comentar. Fiquei muito feliz em ler um novo comentário depois de tanto tempo em que escrevi o texto. Grande abraço! Graziela.

Comente



Todo mundo tem uma história para contar. Cadastre-se e conte a sua. Crie a árvore genealógica da sua família.

Árvore genealógica

Nenhuma árvore.

Histórias

Vídeos

  • Nenhum vídeo.

| mais fotos » Galeria de fotos

Áudios

  • Nenhum áudio.
 

 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados