Olá, faça o Login ou Cadastre-se

  Conte sua históriaSetsuo Kinoshita › Minha história

Setsuo Kinoshita

São Paulo, SP
54 anos, músico

Origens, infância e Japão


Eu nasci e cresci na cidade de São Paulo. Sou filho de uma mãe japonesa e de um pai nissei. Ela veio de Hokkaido, norte do Japão, na década de 30, com uns cinco ou seis anos, para trabalhar nas lavouras. Eu sei que meu avô trabalhava com hortelã em Paraguaçu Paulista (SP). A história é um pouco parecida com aquela novela que passou no Brasil pela NHK, Haru e Natsu – As Cartas que não chegaram. Os personagens também saíram de Hokkaido e vieram pelo porto de Kobe. Foi o mesmo trajeto pelo qual a minha mãe passou.

Meu pai é nascido no Brasil, na cidade de Álvares Machado (SP). A família veio da província de Tokushima. Eu perdi meu pai quando tinha 11 anos, então não tive muita oportunidade de conversar com ele.

Tenho quatro irmãs, sendo que duas estão no Brasil e duas no Japão.

Eu me lembro que a comida em casa era, basicamente, japonesa. O arroz era sempre feito na forma japonesa. Se bem que, às vezes, a gente misturava o gohan com feijão.

Freqüentei o nihongakkou quando criança. E lembro que toda colônia nikkei costumava andar em grupo. O pouco de japoneses que tinha no ginásio, no colegial, sempre acabava se juntando.

Sou formado em processamento de dados pelo Mackenzie. Até terminar a faculdade, não sabia nada de japonês, não entendia o idioma. Aí eu fui fazer a faculdade de língua japonesa na Universidade de Tenri, no Japão. Estudei dois anos e, com a convivência, eu aprendi a falar o idioma. Atualmente, estou fazendo outra faculdade, a Faculdade Paulista de Artes e me especializando em Musicoterapia.

Trabalhei em quatro escolas japonesas que tinham alunos brasileiros, filhos de dekasseguis. E, mesmo naquela época, em 1992, eles já tinham o problema de choque de culturas. As crianças só falavam em português e ninguém entendia o que elas queriam falar. Por isso, não tinham muitos amigos e se revoltavam. E eu sempre estava lá como tradutor para tentar auxiliar.

Nas idas e vindas ao Japão, conheci a Mitsue na província de Nara e acabamos nos casando em 2000.

Depoimento à Nádia Sayuri Kaku
Fotos e vídeos: arquivo pessoal de Setsuo Kinoshita


Enviada em: 05/03/2008 | Última modificação: 04/06/2008
 
« Taiko japonês

 

Comentários

  1. roberto casanova @ 9 Mar, 2008 : 12:58
    Ola amigo adimiro muito o seu trabalho!!!epoca boa de japao pop show abracos e suceso...

  2. Agnes Tame @ 10 Mar, 2008 : 11:05
    Olá Setsuo! Tive o prazer de conhecer o seu trabalho lá no Hotel Intercontinental, no coquetel de abertura do festival gastronômico japonês. Eu e 2 amigas estávamos com a exposição de origami. Sábado passado fui ao show no Sesc Santana e fiquei admirada. Parabéns à você e ao grupo Wadaiko Sho pelo trabalho apaixonante! Que a turnê Tokinonagarê seja um sucesso! Grande abraço! Agnes Tame.

  3. Setsuo Kinoshita @ 13 Mar, 2008 : 15:44
    Robertinho !!!! Que saudades !!!! Lembra quando éramos jovens e fazíamos as aparições no Japan Pop Show ? Aquelas viagens eram de matar, mas todos tem saudades daquela época... Oi Agnes. Foi um prazer ter te conhecido no InterContinental !! Obrigado pelo carinho e espero poder revê-la em breve.

  4. orie @ 18 Mar, 2008 : 22:23
    Setsuo! A vida corrida e a distância nos fizeram amigos de poucas palavras. Mesmo assim, tenho certeza de que você sabe que fico feliz em saber do seu sucesso. Essa tua energia faz um bem danado pra todo mundo! Felicidades Saudades

  5. Sílvio Sano @ 18 Mar, 2008 : 23:27
    Meu caro Setsuo, o seu depoimento vem de encontro à realidade de que, num país como o nosso, multirracial, ganha aquele que aceita o intercâmbio cultural, mas com bom discernimento para que a resultante seja a somatória de um "filtramento"... bem como cada um em sua área. E essa postura é também a que leva à maior criatividade, confore você tem bem mostrado nos espetáculos com o Grupo de Taikô Wadaikô Shô. As conquistas são apenas conseqüências. Parabéns e um grande abraço

  6. Arlene @ 12 Abr, 2008 : 21:19
    Olá! Sempre tive muito interesse em aprender taikô, entretanto ainda não me dei esta oportunidade. Acho importantíssimo que nós descendentes resgatemos o lado oriental de nossa cultura, que em alguns momentos acaba sendo deixada de lado já que é tão diferente da cultura brasileira. Gostaria de saber quais cursos existem na cidade de São Paulo e qual seria a idade ideal para se introduzir uma criança, pois gostaria de apresentar esta arte ao meu filho.

  7. Felipe Tamashiro (Florianópolis-SC) @ 21 Jun, 2008 : 00:19
    Sensei Kinoshita, muito interessante esta entrevista. Gostei muito do dvd do IV Hakkyosai. Algum dia espero ter a oportunidade de participar do curso do seu grupo. Grande abraço.

  8. Dámaso Cerruti @ 21 Jun, 2008 : 16:35
    Querido amigo Setsuo, admiro sua luta, sua constância, seu amor pelo taiko e sua preocupação por oferecer o melhor. Estou colocando fotos em meu orkut e encontrei a Yamato, que você apresentou-me, uma linda experiência para taiko e bateria. Lembra de Maringá? Desejo a voce e sua esposa todo o êxito que merecem e adiante, você não espera acontecer, você faz acontecer, adiante!!!!!!! Escrevo desde Florianópolis e pronto para ir a Londrina e logo...muitas viagem!..nos vemos na estrada! Grande abraço!!!!!!Dámaso

  9. ELEONORA GABRIEL @ 23 Ago, 2009 : 22:31
    OI AMIGOS . SOU PROFESSORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO. ESTOU DESENVOLVENDO UM PROJETO SOBRE DIVERSIDADE E O TAIKO, QUE TANTO ME ENCANTA, ESTÁ TB COMO TEMA. VCS SABEM SE EXISTE ALGUMA TESE DE DOUTORADO, DISSERTAÇÃO DE MESTRADO OU OUTRA BIBLIOGRAFIA EM PORTUGUES SOBRE O TEMA. MUITO OBRIGADA E MUITA FORÇA P MANTER ESTA TRADIÇÃO NA CONTEMPORANEIDADE. PARABÉNS. AGUARDO RESPOSTA. MUITO OBRIGADA ELEONORA lolafolc@gmail.com

  10. Samira @ 30 Ago, 2009 : 19:24
    Caro Setsuo, Trabalho numa agência de eventos e o conheço por ter contratado para fazer evento pela agência Átomo.Agora estou precisando com a máxima urgência possível entrar em contato com você e não consigo em seu celular. Poderia entrar em contato comigo? e-MAIL : SMARTINELLIJAMAL@YAHOO.COM.BR

  11. Samira @ 30 Ago, 2009 : 19:24
    Caro Setsuo, Trabalho numa agência de eventos e o conheço por ter contratado para fazer evento pela agência Átomo.Agora estou precisando com a máxima urgência possível entrar em contato com você e não consigo em seu celular. Poderia entrar em contato comigo? e-MAIL : SMARTINELLIJAMAL@YAHOO.COM.BR

  12. Setsuo Kinoshita @ 6 Mar, 2010 : 04:30
    Ola amigos !! Obrigado pelas mensagens !! Eu nao tenho mais acessado este site e vi que ainda ha amigos postando aqui. Por favor, escrevam para mim no taiko@taiko.com.br ou me procurem em comunidades como Orkut e Facebook que enviam mensagens diretamente a mim. Eu nao tenho como retornar as mensagens..... abs Setsuo

  13. Regina @ 14 Dez, 2010 : 17:43
    Olá.... Boa nooite! Gostaria de saber se vcs tem um parente chamado Toyoso Kinoshita, que foi morar em Belo Horizonte MG. Caso tnha, entre em contato comigo, pois preciso muito falar com alguém da família. Meu email é rrolla2003@yahoo.com.br

  14. Hellen Furusho @ 29 Ago, 2011 : 03:06
    Oi, Setsuo. Sou Hellen, sou surda e treino de taiko (iniciante) todas sextas em Curitiba - PR. Meu grupo de taiko chamado Wakaba, não tem deficientes auditivos e só sou única. Muito gosto de taiko e quero torna-se veterana de taiko, porque Paraná não tem deficientes auditivos treinam de taiko. Meu e-mail é: kh.hellen@hotmail.com. Obrigada, Hellen.

Comente



 

 

As opiniões emitidas nesta página são de responsabilidade do participante e não refletem necessariamente a opinião da Editora Abril


 
Este projeto tem a parceria da Associação para a Comemoração do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil

Sobre o Projeto | Cadastro | Fale Conosco | Divulgação |Termo de uso | Política de privacidade | Associação | Expediente Copyright © 2007/08/09 MHIJB - Todos os direitos reservados